Igrejas

- Basílica Nossa Senhora das Neves

Construída numa elevação pelos primeiros colonizadores da Paraíba em 1586 como forma de homenagear Nossa Senhora das Neves .A igreja era uma edificação simples, de taipa, que foi reconstruída nos inícios do século XVII. Em 1639. As obras e reformas seguiram ao longo dos séculos XVII e XVIII.
Em 1881 a igreja começou a ser reconstruída, ganhando a forma em estilo eclético que tem atualmente. A sagração ocorreu a 1º de agosto de 1894 já com o título de Catedral, uma vez que a Diocese da Paraíba havia sido criada, em 04 de março, com sede na Igreja de Nossa Senhora das Neves.
Em 1914, a diocese foi elevada ao título de Arquidiocese e Sede Metropolitana. Durante o episcopado de Dom Marcelo Pinto Carvalheira (1995-2004), a Catedral passou por uma grande reforma e recebeu o título, em novembro de 1997 de Basílica.

- Mosteiro de São Bento

O Mosteiro de São Bento, localizado no Centro Histórico de João Pessoa, é um conjunto em estilo barroco, construído pelos monges Beneditinos, formado pelo mosteiro e a igreja, considerado um dos mais importantes do Brasil. A construção do mosteiro data do século XVII, e da igreja, do século XVIII, sendo esta tombada pelo Iphan em 10 de janeiro de 1957. Em 1995, o conjunto foi restaurado e, atualmente, no seu interior, realizam-se concertos de música e missas cantadas.

O Conjunto, formado pela igreja e pelo mosteiro, foi construído sob invocação de Nossa Senhora do Monte Serrat. A obra teve início quando da chegada dos beneditinos em João Pessoa, na época que o Estado era a Capitania Real da Paraíba, por volta de 1590.Após a edificação, passou a ser um dos primeiros e principais locais para cultos religiosos estabelecidos em João Pessoa. E, segundo oIphan, este conjunto se encontra entre os monumentos mais importantes do país, no seu estilo e de sua época.
Telefone: (83) 3241-7009

- Igreja da Misericórdia

A Igreja da Misericórdia é uma das mais antigas da cidade de João Pessoa, sendo a única que possui sua fachada original, bem como boa parte do seu interior. A fachada mostra os traços maneiristas, sem os adornos e ostentações do barroco. Ela é bem simples e voltada à proteção.

Normalmente as Santas Casas eram compostas por um hospital, uma igreja e, eventualmente, um cemitério.Esse é exatamente o caso da Filipéia de Nossa Senhora das Neves, nome da nossa cidade na época da sua construção, datada entre 1602 e 1618.

Telefone: (83) – 3221-2368
Horários: Segunda à sexta – 8h às 17h

- Igreja São Frei Pedro Gonçalves

A Igreja de São Frei Pedro Gonçalves foi construída em 1843 com influência eclética. A edificação é parte integrante do conjunto arquitetônico disposto no largo homônimo. O prédio passou por uma restauração em 2000. Sua fachada e seu interior são simples. O diferencial do local, no entanto, está na sua localização, próxima ao Rio Sanhauá, e nas ruínas soterradas embaixo da igreja.
Em julho de 2000, durante trabalhos de restauração, foram identificadas pelos técnicos (historiadores, arqueólogos e arquitetos), as ruínas de uma fortificação cuja periodizaçãofoi estabelecida como sendo de fins do século XVI. Com cerca de 10.000 m² de área, as ruínas encontravam-se soterradas.

Numa avaliação preliminar por técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, pode-se tratar das “muralhas do Varadouro”. Esses vestígios de muros de pedra calcária, que atingem em alguns trechos entre oito e dez metros de altura, pelo seu período estimado, podem remeter às primeiras ocupações da então Capitania da Paraíba, de 1585.

Telefone: (83) 3222-4777
Horários: Teças e Sábados – 9h às 10h45 / Terça, Quinta e Sexta – 15h20 às 16h/ Domingos – 15h às 18h30

- Convento Igreja de Nossa Senhora do Carmo

O Convento Igreja de Nossa Senhora do Carmo, localizado no Centro Histórico da cidade, na Praça Don Adauto, compreende um conjunto arquitetônico, construído pelos carmelitas, composto pela Igreja de Nossa Senhora do Carmo, pelo Palácio Episcopal (antigo Convento Carmelitano e atual sede da Arquidiocese da Paraíba), ambos construídos no século XVI e tombados pelo Iphaep (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba), e pela Igreja de Santa Teresa de Jesus da Ordem Terceira do Carmo, datada do século XVIII e tombada pelo Iphan.

A ordem religiosa dos carmelitas chegou ao estado da Paraíba provavelmente no ano 1591, junto com os beneditinos, franciscanos e jesuítas, com o objetivo de evangelizar e catequizar os índios. No final do século XVI os carmelitas começaram a construção de uma moradia própria na Paraíba. A conclusão da obra foi demorada, incluindo o Convento do Carmo, a igreja de Nossa Senhora do Carmo, a capela de Santa Teresa e a casa dos exercícios dos Irmãos Terceiros.

O conjunto carmelitano só ficou pronto no século XVIII quando, de acordo com os registros históricos, Frei Manuel de Santa Teresa encerrou as obras usando recursos próprios.

Telefone (83) 3221-9400
Horários: Segunda a Sábado 14h às 17h30

- Igreja de São Francisco

O Centro Cultural São Francisco está localizado no Centro Histórico da cidade. Lá existe um magnífico complexo arquitetônico formado pela Igreja de São Francisco e pelo Convento de Santo Antônio, mais a Capela da Ordem Terceira de São Francisco, a Capela de São Benedito, a Casa de Oração dos Terceiros (chamada de Capela Dourada), o Claustro da Ordem Terceira, uma fonte e um grande adro com um cruzeiro, constituindo um dos mais notáveis legados do Barroco no Brasil. Por sua importância, foi tombado pelo  Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional  (Iphan) em 1952. Ao ser fundada a igreja era dedicada a Santo Antônio, e, aparentemente, a troca de nome ocorreu o início do século XX, por força de um costume popular, mas também é conhecida pela antiga denominação.

Telefones: (83) – 3218-4505
Horários: Todos os dias – 9h às 12h e 14h às 17h

Fonte de Santo Antonio – Foi construída em 1717, para prover água aos frades, jorrando da boca de um golfinho de pedra. Apresenta ainda a inscrição em latim cuja tradução é a seguinte: “À posteridade: estás a indagar porventura com que sacrifício se erigiu o que ora contemplas, ó leitor (amigo)? Foi um amor fraterno que construiu com despesas enormes este monumento. 1717. F.M. T.F. Entoai, ó fontes, cânticos ao Senhor. Santo Antonio, rogai por nós”. Este chafariz antigo situa-se na Rua Gouveia Nóbrega, a poente convento, apresentando ainda uma espécie de altar e um pequeno nicho que se acredita ter abrigado possivelmente uma imagem de Santo Antonio.
Localização: Conjunto Arquitetônico São Francisco

- Capela Nossa Senhora da Penha

A capela de Nossa Senhora da Penha foi construída pelo português Sílvio Siqueira, em 1763. Todo ano acontece a Romaria da Penha, uma caminhada de 14 quilômetros que sai da Igreja de Nossa Senhora de Lourdes, no Centro de João Pessoa, e vai até à Capela de Nossa Senhora da Penha, na Praia de mesmo nome. A Romaria da Penha sempre é realizada no último domingo de novembro.

Um pouco da história do santuário

O português Sílvio Siqueira, em 1763, comandava uma embarcação que saíra em direção à Europa, mas no litoral paraibano ele enfrentou uma grande tormenta. Em um momento de aflição, reuniu a tripulação e pediu proteção a Nossa Senhora da Penha, prometendo erguer um santuário em sua honra no local em que aportasse em segurança. Minutos depois, todos conseguiram desembarcar com tranquilidade na então Praia de Aratu – hoje Praia da Penha. Como prometido, a construção foi feita. E essa foi a terceira capela construída no Brasil em homenagem à santa.
Telefone(s): (83) 3251-1539